quinta-feira, setembro 22, 2005

A questão da valorização e musealização de sítios e percursos arqueológicos.

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Actualmente, após anos e anos de despreocupação com o passado, estamos a assistir a uma vaga de planos e projectos de valorização e musealização de sítios e percursos arqueológicos. Nos mais variados concelhos se assiste a esta reconciliação com o património. Desde Alcoutim, onde recentemente foi inaugurada a musealização das ruínas do Montinho das Laranjeiras, até Aljezur acredito eu.
Mas voltando à realidade do concelho Silvense tenho que dar os parabéns pelo trabalho desenvolvido nesse âmbito na área do Castelo e pelo diagnóstico arqueológico realizado por toda a cidade e a exposição pública dos resultados. Tenho também que congratular o esforço que foi feito para o reerguimento dos menires na zona dos Gregórios e Vilarinha, esses fantásticos vestígios megalíticos.
Temos que ter em conta a especificidade do Megalitismo no nosso concelho onde a grés vermelha foi utilizada para a construção destes monumentos de época neolítica.
Deduzo que após o primeiro passo que foi o reerguimento se seguirão a valorização e musealização do percurso com sinalética e placas explicativas sobre o período em que foram originalmente erguidos, a sua importância e supostos significados no Neolítico e até mesmo em época Calcolítica.
A musealização deve também passar pela publicação dos dados recolhidos na investigação e estudo dos vários menires e da sua envolvente. A intervenção, a meu ver, revela-se urgente pois pelo menos um dos menires foi recentemente alvo de vandalismo como pude comprovar este fim-de-semana durante uma visita ao sítio.
Acredito que este assunto já esteja a ser discutido na Câmara Municipal de Silves e que a Valorização/Musealização do percurso megalítico esteja para breve, pois um dos principais meios para evitar atentados contra o património cultural é precisamente demonstrar a importância deste à população. Nunca convém esquecer que muito do nosso património tem sido destruído pela ignorância das pessoas.

P.S. Foi com agrado que vi num Poster presente no III Encontro de Arqueologia do Algarve a menção e divulgação do conjunto megalítico em questão, só me resta felicitar a C.M.S. que tal como anteriormente tinha referido no artigo, está a desenvolver esforços no âmbito da valorização destes vestígios de ocupação pré-histórica.

Fotos gentilmente cedidas por José Manuel Santos