segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica de Silves

É com um misto de agrado e insatisfação que coloco aqui estas minhas palavras sobre este novo espaço cultural que abriu em Silves. Para já só soube por acaso da sua abertura porque fui votar no referendo e deparei-me com as portas abertas, porque divulgação de eventos é muito escassa, depois fiquei algo espantado quando vi que não se tratava do Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves, mas sim da Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica de Silves, questionei-me se seriam a mesma coisa com nova nomenclatura, pelos vistos não e a disputa judicial permanece. Agora os pontos positivos, gostei imenso do espaço, tenho que dar os parabéns ao arquitecto José Alberto Alegria e a toda a equipa que o pensou e concebeu, a exposição também está muito do meu agrado e é de facto justo que se faça menção e demonstre a projecção internacional do trabalho do arquitecto José Alegria que faz de forma exemplar a ponte entre a arquitectura local e a mediterrânica, nunca esquecendo o norte de África. Em poucas palavras foi o que senti durante a visita ao espaço do antigo matadouro, por último recomendo a visita para apreciar o belo espaço que foi criado e à exposição que ajuda de todo à melhor compreensão de certas opções que foram tomadas no projecto.